de repente.... já nos 20?!

Setembro 11 2011

 

 

Amanhã é dia de recomeço. Amanhã é dia de iniciar uma nova etapa, e digamos que estou assim um bocadinho apavorada! Acho que vou gostar, mas mesmo assim tenho medo...acho que é inevitável! É uma experiencia diferente de tudo o que já passámos. Eles não são adultos em miniatura, são miudos e isso, só por si, já altera tudo. Os miudos têm uma fé inabalável que tudo vai correr bem, acreditam que os pós mágicos das fadas os podem curar, dizem que as dores passam apenas com um beijinho, e mesmo doentes continuam a sorrir e a ter força de viver! Sim, a pediatria é diferente de tudo aquilo por que já passei. Tenho medo sim! È responsabilidade a triplicar, são os pais em cima de nós,  que é mais do que normal.. tenho medo, mas parece-me que este estágio vai ser daqueles a recordar. Espero que sim, estou com vontade de começar. Aqui vou, rumo ao mundo das crianças!!


Setembro 10 2011

 

 

Ontem foi noite de reencontros. Foi noite de por a conversa em dia. Foi noite de mais uma vez criarmos aquelas memórias boas que nos enchem de felicidade.

É engraçado ver como alguns já estão a trabalhar, com todo aquele entusiasmo de quem começa. É giro ver aquelas pessoas com quem começei os melhores quatro anos da minha a vida, a tornarem-se adultos aos poucos. Com trabalhos, responsabilidades e até com um bebé a caminho... Não consegui evitar de me sentir um bocadinho triste, afinal também já podia estar a partilhar esta nova etapa com eles, mas é a vida..caímos, levantamo-nos e continuamos a lutar..e é isso que faz de nós pessoas fortes.

Foi uma boa noite. Sem as agitações dos jantares de quinta, sem as doideiras dos habituais jantares de faculdade (mas eles não são mais estudantes), sem os brindes a isto e aquilo..mas foi uma boa noite. Calma e reconfortante. Conversas que fluem tão facilmente, segredos partilhados, confidencias trocadas..como se estivessemos estado juntos ainda ontem...  E tudo isto acompanhado de uma "sushizada", juro que soube pela vida!


Setembro 09 2011

 

 

Vivemos numa sociedade onde se busca insancemente a perfeitação (coisa que está bem longe de existir). A verdade é que tudo apela a mundo maravilha onde todos são belos, magros e bem vestidos. Toda a gente liga demasiado a aparência e muitas vezes, até os sentimentos são baseados no quanto a outra pessoa parece bonita. E se isso dá em relação, ai sim vêm os problemas. Vivesse obsecado que o outro (aparentemente mais bonito) vai encontrar outro alguém muito m ais magnifico que nós, que vamos ser trocados porque na realidade não somos nada de especial, aliás ate somos bem para o normalzito... E vêm as discussões e os problemas e tantas vezes o inevitavel fim...

Acho que se as pessoas se importassem mais com o interior do que com a beleza fisica, metade dos problemas acabavam! Mas se pensarmos bem, se estivermos num bar e virmos duas pessoas uma ao lado da outra, uma linda de morrer e a outra a atirar para o feinho..para quem é que olhamos?? Pois!!! Não interessa de a pessoa "B" é muito mais inteligente, muito mais sincera, muito mais divertida, muito mais tudo, nao interessa porque nem sequer  lhe é dada oportunidade de se mostrar. Não interessa porque está excluida a partida, só porque não preenche os requisitos x e y!!

E se essa pessoa tivesse uma oportunidade de mostrar todaa sua beleza interior? E se essa pessoa afinal se demonstrasse a pessoa ideal para nós? E se essa pessoa fosse "a tal"??' Não valia a pena tentar??

 


Setembro 07 2011
Que exista uma outra metade....
 
 

 

 

 

 


Setembro 06 2011
 
Já ouvi dizer por ai que depois da tempestade o Sol costuma aparecer! Gosto de acreditar nisso. Gosto de acreditar que depois dos dias tristes e cinzentos da nossa vida alguma coisa vai brilhar, mesmo que meio envergonhada ao inicio. Afinal é como diz o povo "não há bem que sempre dure, nem mal que nunca ababe!" e como esta frase é verdadeira, o povo é sábio, disso não tenho dúvidas. Mas se assim é, se sabemos que os dias amargos não vão durar para sempre, porque é que tanta gente se entrega a uma tristeza destrutiva, que incapacita, que impede de viver!? Secalhar é algo inerente ao ser humano, se calhar tem a ver com a natureza do povo português ( e eu voto mais neste aspecto). Os portugueses acostumam-se, acomodam-se às situaçoes, mesmo quando são desconfortáveis para eles. Falta um pouco de alegria de viver (que nos está no sangue como latinos que somos), falta acreditar que amanha será um novo dia. Falta acreditar que cada dia é um mundo de oportunidades. Eu também de vez em vez acomodo às situações, me recuso a acreditar que um dia a luz vai brilhar de novo ao fundo do túnel. A sorte é que estes pensamentos duram pouco porque tento sempre trazer ao de cima a metade optimista de mim. tento sempre acreditar que depois dos ventos ciclonicos, das chuvas torrencias, dos dias em que não conseguimos por o pé na rua, o sol vái brilhar em todo o seu esplendor e como diz a Katy Perry, um glorioso arco-iris vai surgir no céu para nos lembrar que a vida, não é definitivamente a preto e branco!

desabafos, comentarios, disparos e caturreiras..enfim, pedaços de vida de uma miuda de 20 anos a quem nunca NADA, mas mesmo nada corre como o planeado...
mais sobre mim
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
17

22

25
29
30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO